PROFESSOR

PAULO CESAR

PORTAL DE ESTUDOS EM QUÍMICA
 

DICAS PARA O SUCESSO NO VESTIBULAR: AULA ASSISTIDA É AULA ESTUDADA - MANTER O EQUILÍBRIO EMOCIONAL E O CONDICIONAMENTO FÍSICO - FIXAR O APRENDIZADO TEÓRICO ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE EXERCÍCIOS.

Home
Avogadro
Lavoisier
Linus Pauling
Marie Curie
Mendeleiev
Rutherford

 

Ernest Rutherford

{{{nome}}}

Ernest Rutherford, o 1º barão Rutherford de Nelson, OM, PC, PRS (Spring Grove, Nova Zelândia, 30 de Agosto de 1871 — Cambridge, 19 de Outubro de 1937), foi um físico e químico neozelandês.

 

Índice

bullet 1 Biografia
bullet 2 Publicações
bullet 3 Referências
bullet 4 Ligações externas

Biografia

Ernest Rutherford nasce em Nelson, cidade portuária da ilha sul da Nova Zelândia, o quarto filho e segundo homem de uma família de sete filhos e cinco filhas. Seu pai James Rutherford, um escocês wheelwright, emigrou para a Nova Zelândia com toda a família em 1842. Sua mãe, nascida Martha Thompson, uma professora de Inglês, que, com sua mãe viúva, também se mudou em 1855.

Ernest recebeu a sua educação em escolas públicas, aos 16 anos entrou em Nelson Collegiate School. Graduou-se em 1893 em Matemática e Ciências Físicas na Universidade da Nova Zelândia. Após ter concluído os estudos ingressou no Trinity College, Cambridge, como um estudante na investigação do Laboratório Cavendish sob a coordenação de J. J. Thomson. Uma oportunidade surgiu quando o lugar de professor da Física em Universidade de McGill, em Montreal, ficou vago, e em 1898 ele partiu para o Canadá, para assumir o posto. Em 1898 foi nomeado professor de Física da Universidade de McGill, em Montreal, Canadá, e em 1907, na Universidade de Vitória, Manchester.

Apesar de ser um físico, recebeu o Prêmio Nobel da Química em 1908 pelas suas investigações sobre a desintegração dos elementos e a química das substâncias radioativas.

Uma das inúmeras experiências realizadas, foi a que demonstrava o espalhamento das partículas alfa. Esta foi base experimental do modelo atômico do chamado átomo nucleado onde elétrons orbitavam em torno de um núcleo.

Durante suas pesquisas Rutherford observou que para cada 10.000 partículas alfa aceleradas incidindo numa lâmina de ouro, apenas uma refletia ou se desviava de sua trajetória. A conclusão foi que o raio de um átomo poderia ser em torno de 10.000 vezes maior que o raio de seu núcleo.

Rutherford e Frederick Soddy ainda, descobriram a existência dos raios gama e estabeleceram as leis das transições radioativas das séries do tório, do actínio e do rádio.

O modelo atômico de Rutherford ficou conhecido como modelo planetário, pela sua semelhança com a formação do Sistema Solar.

Em 1911, Ernest Rutherford propôs o modelo de átomo com movimentos planetários. Este modelo foi estudado e aperfeiçoado por Niels Bohr, que acabou por demonstrar a natureza das partículas alfa como núcleos de hélio.

ruther_1.jpg

Experiência realizada por Rutherford

De volta a Cambridge em 1919, Ernest Rutherford percebeu que a carga positiva de um átomo está concentrada no centro, num minúsculo e denso núcleo, introduzindo o conceito de núcleo atômico. Desenvolve, então, a moderna concepção do átomo como um núcleo em torno do qual elétrons giram em órbitas elípticas. A liderança e o trabalho de Rutherford inspiraram duas gerações de cientistas. Baseado na concepção de Rutherford, o físico dinamarquês Niels Bohr idealizaria mais tarde um novo modelo atômico.

Modelo atômico de Rutherford

Revela o fenômeno da radioatividade em pesquisas feitas em colaboração com o Frederick Soddy. Em 1902, ambos distinguem os raios alfa e beta e desenvolvem a teoria das desintegrações radioativas espontâneas.

Dentre seus companheiros de estudos, está o Dr. Edward Viriatus, psicólogo e químico.

Em 1919, realiza a primeira transmutação induzida, também conhecida como reação nuclear: converte um núcleo de nitrogênio em oxigênio, por bombardeamento com partículas alfa. As suas experiências levam à descoberta dos meios de obtenção de energia nuclear. Tais fatos levaram a que Rutherford fosse considerado como o fundador da Física Nuclear.

Rutherford erigiu o Laboratório Cavendish desde 1919 até à sua morte.

Foi presidente da Royal Society de 1925 a 1930.

Ele recebeu a Order of Merit em 1925 e em 1931 foi condecorado Baron Rutherford de Nelson, Cambridge, um título que foi extinto depois da sua inesperada morte aguardando por uma cirurgia de hérnia umbilical. Após se tornar um Lord, ele só poderia ser operado por um médico também nobre (uma exigência do protocolo britânico) e essa demora custou a sua vida[1]. Morre a 19 de Outubro de 1937,em Cambridge, sendo as suas cinzas foram enterradas na Abadia de Westminster ao lado de J. J. Thomson.

Publicações

bulletRadioatividade (1904), 2nd ed. (1905)
bulletTransformações Radioativas (1906)
bulletRadiações de substâncias radioativas, com James Chadwick e CD Ellis (1919)
bulletA estrutura elétrica da matéria (1926)
bulletas transmutações artificiais dos Elementos (1933)
bulletA Nova Alquimia (1937)

Referências

  1. Ramsay, D.A. (2001). Book review of Rutherford, Scientist Supreme by J. Campbell (em inglês). ISI Short Book Reviews. International Statistical Institute. Página visitada em 5 de maio de 2008.

Ligações externas

bullet Nobel Lecture (em inglês). The Chemical Nature of the Alpha Particles from Radioactive Substances

 

 

Home | Avogadro | Lavoisier | Linus Pauling | Marie Curie | Mendeleiev | Rutherford

Este site foi atualizado em 04/02/11